sábado, 28 de novembro de 2020
Facebook Instagram Twitter Youtube E-mail
48 3191-0403
Tubarão
28 ºC 20 ºC
Segurança
21/11/2018 16h29

Caso Daniel: Assassino confesso e outros 3 suspeitos serão indiciados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver

Revelado pelo Cruzeiro, o meio-campista foi morto aos 24 anos de forma brutal. Confira por quais crimes cada um deve ser indiciado
Caso Daniel: Assassino confesso e outros 3 suspeitos serão indiciados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver
Foram definidos os crimes pelos quais os sete presos envolvidos na morte do jogador Daniel serão indiciados pela Polícia Civil do Paraná. De acordo com o jornal O Globo, o empresário Edison Brittes, conhecido como Juninho Riqueza, será acusado de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Os jovens Eduardo da Silva, Ygor King e David William da Silva foram indiciados também pelos mesmos crimes. Segundo a investigação, os três teriam ajudado nas agressões e no assassinato do ex-meia do São Paulo.

Allana Brittes e Cristiana Brittes, respectivamente a filha e a esposa de Edison, responderão por coação de testemunha e fraude processual. De acordo com a Polícia, elas mentiram nos depoimentos que prestaram sobre os ocorridos. As duas também estavam em uma conversa em um shopping center da região de Curitiba na qual tentaram combinar uma versão para apresentarem no caso.

O encontro teria ocorrido em 29 de outubro, dois dias depois do homicídio de Daniel. "Nesse shopping, o Edison compõe uma história para as testemunhas. Eles deveriam fechar que o Daniel teria saído de casa pelo portão e não teria voltado. Se esse elo da história fosse rompido, ele saberia qual das testemunhas rompeu o elo", disse o delegado Amadeu Trevisan, responsável pelo caso, ao Fantástico.

Os acusados estão presos de forma temporária (30 dias). O advogado Cláudio Dalledone tentou a revogação da prisão de Cristiana Brittes, mas a Justiça negou o pedido.

A investigação deve ser encerrada na quarta-feira, quando o Ministério Público do Paraná receberá o inquérito com mais de 20 depoimentos.

Mineiro de Juiz de Fora, Daniel foi morto aos 24 anos, após a comemoração do aniversário de Allana, filha do casal Brittes, dia 17 de outubro.

Revelado pelo Cruzeiro, o meio-campista foi contratado pelo São Paulo após se destacar no Botafogo. Também passou por Ponte Preta e Coritiba. Ele estava emprestado pelo time paulista ao São Bento, que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro.
Apuração do caso

Testemunhas ouvidas pela polícia disseram não ter escutado gritos de Cristiana no quarto pela suposta tentativa de estupro de Daniel. Além disso, disseram que não viram arrombamento da porta e que escutaram o jogador pedindo por ajuda e dizendo que não queria morrer.

Edison Brittes mudou a versão sobre o crime em depoimento de mais de seis horas para Polícia Civil de São José dos Pinhais, na região de Curitiba, na quarta-feira (07/11). Questionado sobre a forma como o jogador foi morto, ele preferiu ficar em silêncio, mas assumiu a autoria do homicídio.

Veja por quais crimes cada um deve ser indiciado:






  • Edison Brittes - homicídio qualificado e ocultação de cadáver;

  • Cristiana Brittes - coação de testemunha e fraude processual;

  • Allana Brittes - coação de testemunha e fraude processual;

  • Eduardo da Silva - homicídio qualificado e ocultação de cadáver;

  • Ygor King - homicídio qualificado e ocultação de cadáver;

  • David Willian da Silva - homicídio qualificado e ocultação de cadáver;

  • Eduardo Purkote - lesões graves.
    Foto: Marcello Zambrana/AGIF


PUBLICIDADE

HC Notícias
48 3191-0403
48 9 8806-3734
Rua Altamiro Guimarães, 50
88701-300 - Centro - Tubarão/SC
Hora Certa Notícias © 2019. Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia