segunda, 26 de fevereiro de 2024
Facebook Instagram Twitter Youtube E-mail
48 3191-0403
Geral
16/05/2019 09h59

Corpo de professor tubaronense é encontrado em apartamento em Araranguá

Rui Miguel de Carvalho Júnior sofria depressão. Seu corpo foi encontrado suspenso por um lençol na escada do apartamento no centro de Araranguá. 
Corpo de professor tubaronense é encontrado em apartamento em Araranguá
A guarnição da polícia militar foi acionada por volta de 18 horas, desta quarta-feira (15), para atender uma solicitação de vizinhos de um apartamento duplex no centro de Araranguá. No local constatou a morte do professor tubaronense Rui Miguel de Carvalho Júnior. Depois de dois dias sem dar notícias, suscitou a preocupação dos vizinhos. Um destes foi até a marquise do prédio e olhou para dentro do apartamento e se deparou com o corpo suspenso por um lençol na escada.

Embaixo da porta havia um bilhete (de acordo com pessoas próximas) da ex-mulher de Rui. A separação pode ter sido o gatilho motivador deste ato de desespero?

A PM entrou pela marquise e abriu a porta, que estava chaveada por dentro. O Instituto Geral de Perícias (IGP) e o Instituto Médico Legal (IML) atuaram no caso. Havia sinais post-mortem – como inchaço e esverdeamento, que indicavam que o corpo estava no local entre 18 e 36 horas. A necropsia deverá confirmar a causa mortis como suicídio.

Dentro da casa, os pertences que apontavam para a carreira do professor, pesquisador e cientista. O corpo está no IML e deverá ser liberado para um parente de primeiro grau, para que seja feito o atestado de óbito e liberar o corpo para encaminhamento dos funerais.

De acordo com fontes ligadas ao Colégio Murialdo, fazia poucos dias que o professor Rui havia sido contratado para lecionar a disciplina de Física.

Amigos lamentam a morte do professor

Amigos e familiares lamentaram a morte prematura do professor, pesquisador e cientista. "Soube agora, por meio do Post.tv.br, veículo de comunicação de Araranguá, que meu ex.colega de trabalho, de Unisul, professor e pesquisador Rui Miguel de Carvalho Júnior, tirou a própria vida. Difícil compreender o que se passa na cabeça de um ser humano e o que levou Rui a optar pela forma prematura do seu fim. Depressão seria uma hipótese, disse o post.
Enquanto a humanidade seguir navegando (ou naufragando) num mundo de relações superficiais, materiais, hipócritas e de pontos de vista totalitários, suicídio seguirá sendo tabu, tirando do nosso convívio milhares de pessoas que seguirão caladas, angustiadas, órfãs de atenção, carentes de si mesmas e clementes por acolhimento, marchando para o mesmo (e trágico) fim. Infelizmente, o Brasil já tem 1 caso de suicídio a cada 46 minutos. Quando menos se espera, o problema poderá estar aqui, ali, acolá, aí, no meu e no seu lado. Não espere pelo outro: quando alguém lhe der um mísero sinal de alerta demonstrando, sinalizando ou dizendo “eu não estou bem”, não hesite em proporcionar momentos de humanidade, de atenção e de carinho. Uma palavra assertiva pode mudar tudo. Depressão não é opção, é doença e tem cura. Suicídio não é tabu, é coisa séria e dialogar abertamente sobre o tema, sem preconceitos, pode salvar vidas. Minhas sinceras condolências aos familiares e amigos do Rui", refletiu o amigo Willian Máximo em suas redes sociais.

A carreira de Rui Miguel de Carvalho Júnior

Graduado em química pela Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL (2004), mestrado em engenharia e ciências térmicas pela Universidade Federal do Paraná – UFPR (2010) e doutorado em química analítica pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC (2016). Participou de um projeto de cooperação entre os EUA e Brasil, atuou com modelagem matemática de processos de geração de energia por gaseificação no U.S. Departament of Energy – National Energy Technology Laboratory (2010-2011). Tem experiência na síntese e na caracterização de biodiesel de microalgas.

É especializado principalmente em espectrometria atômica, atuando em ICP-MS, ICP-OES e em AAS (fonte de linha e de alta resolução com fonte contínua).

Desenvolve métodos analíticos para a determinação de elementos traço em amostras geológicas, ambientais, biológicas e industriais com ênfase em validação e otimização de metodologias analíticas utilizando principalmente digestão assistida por microondas, bloco digestor, ultrassônico e amostragem direta de sólidos.

Com informações de Post TV
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

HC Notícias
48 3191-0403
48 9 8806-3734
Rua Altamiro Guimarães, 50
88701-300 - Centro - Tubarão/SC
Hora Certa Notícias © 2019. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.